NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A fabricante de aeronaves brasileira Embraer anunciou hoje que firmou um contrato para vender à Hungria dois dos seus cargueiros militares KC-390, a maior aeronave fabricada no país, já encomendada pelas forças aéreas do Brasil e Portugal.

As duas aeronaves de transporte multimissão vendidas ao Governo húngaro contarão com equipamentos que lhes permitem abastecer de combustível outras aeronaves em pleno voo, de acordo com as exigências da Hungria, país que faz parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), explicou a Embraer em comunicado.

 

O contrato, cujo valor não foi especificado, mas que, segundo a imprensa, ascende a 300 milhões de dólares (252,8 milhões de euros), prevê ainda que a fabricante brasileira ofereça a formação de pilotos e técnicos, assim como outros serviços, e o respetivo suporte técnico para as aeronaves, que a Embraer rebatizou recentemente como C-390 Millennium.

 

"A aquisição faz parte do processo de fortalecimento das Forças Armadas húngaras, especificamente nas funções de transporte aéreo tático, abastecimento aéreo e evacuação médica, assim como em outras missões de interesse público", segundo o comunicado da Embraer.

 

A empresa, a terceira maior fabricante de aeronaves do mundo e líder mundial no segmento de aviões comerciais para voos regionais, comprometeu-se a entregar o primeiro dos dois cargueiros em 2023 e o segundo um ano depois.

 

"Após a compra das aeronaves de transporte aéreo de pessoal em 2018, a aeronave KC-390 será entregue à Hungria em 2023 e 2024, com capacidade tanto para lançar cargas militares num ambiente operacional, como de abastecimento aéreo", afirmou o comissário da Governo para o Desenvolvimento da Defesa da Hungria, Gáspár Maróth, citado no comunicado.

 

"Estamos a adquirir uma frota de transporte multimissão para que as Forças Armadas cumpram, de forma soberana, a mais ampla gama de tarefas a nível nacional", acrescentou Maróth.

 

O presidente da Embraer Defesa&Segurança, Jackson Schneider, destacou que a Hungria é o segundo país europeu e membro da NATO a escolher a C-390 Millennium, "a mais avançada aeronave de transporte multimissão disponível no mercado" e que oferece "uma combinação incomparável de velocidade, capacidade de carga útil e rápida reconfiguração para operações multimissão".

 

Schneider acrescentou que os KC-390 que serão entregues à Hungria serão os primeiros no mundo a oferecer a configuração de Unidade de Terapia Intensiva para missões humanitárias.

 

A empresa brasileira disse ainda que os KC-390 são totalmente compatíveis com as operações da NATO, não só em termos de 'hardware', mas também na configuração de aviónica e comunicações.

 

A primeira unidade desse cargueiro foi entregue no ano passado para a Força Aérea Brasileira (FAB), que já o utilizou em várias missões no Brasil e no exterior.

 

Além das 28 aeronaves deste modelo adquiridas pela FAB, a Embraer também vendeu cinco unidades para Portugal por 827 milhões de euros, que se encontram em fase de produção e entrarão em serviço em 2023.

 

Pela sua capacidade de transportar até 26 toneladas de carga, o C-390 Millenium é capaz de substituir o C-130 Hercules que muitos países utilizam.

 

Só a NATO possui 137 Hércules na sua frota, com capacidade de carga de 19 toneladas.

 

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 lugares e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

 

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

 

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA - Indústria Aeronáutica de Portugal, em Alverca, com 65% do capital.

Partilhar