NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Insights-X, o novo ponto de encontro do setor de papelaria, material escolar e de escritório onde anualmente são apresentadas as mais recentes tendências para material de escritório, escolar e para hobby, tem lugar num dos países europeus onde regularmente se realizam as maiores e mais emblemáticas feiras mundo - a Alemanha.

A Alemanha é, justamente, a maior economia europeia, cujo sucesso se baseia numa economia doméstica sólida e numa grande capacidade/volume de exportações.


A qualidade dos produtos e serviços "Made in Germany" fala por si. Segundo o "Statistische Bundesamt" citado numa recente apresentação da AI CEP sobre E-commerce, em 2017, o produto interno bruto (PIB) cresceu com uma intensidade que já não era registada há seis anos. Atingiu os 3,26 biliões de euros, o que representa um aumento de 2,2% face a 2016.
Falamos de um país densamente povoado (82,8 milhões de habitantes), com grande poder de compra, com uma alta taxa de penetração da Internet e com milhões de consumidores a fazerem compras 'online' regularmente. É, por isso, um importante mercado de comércio eletrónico, a que Portugal, nomeadamente, deve estar atento.


Alemanha: 53 milhões são compradores digitais, dos quais 24 milhões compram 'online'
Na Europa, só o Reino Unido é que gera maior volume de negócios no e-commerce. Cerca de 11,5% do volume total de negócios no retalho na Alemanha é gerado no e-commerce.


De acordo com a AICEP, na Alemanha a taxa de utilizadores de internet atinge os 98%, sendo que 32% são utilizadores regulares de internet e 53 milhões são compradores digitais, dos quais 24 milhões compram 'online'.


A agência portuguesa refere ainda que o comércio eletrónico de produtos (sem venda por catálogo e sem serviços) na Alemanha registou um crescimento de dois dígitos (+10,9%) em 2017, atingindo os 58.466 milhões de euros no final de 2017, de acordo com dados da BEVH (Associação Federal Alemã de Comércio Eletrónico e Venda à Distância). Sobre 2018 ainda não há dados finais, mas o crescimento deverá ter atingido 9,3%. Só as vendas online' de material de escritório superaram os 677 milhões de euros em 2017.


De acordo com a AICEP, o consumidor alemão é informado e experiente e dispõe de elevado poder de compra. Apesar de ter aversão ao risco e às compras a crédito e de valorizar a segurança na internet, o consumidor alemão dá importância à tecnologia e às tecnologias de informação e comunicação (em língua alemã) e tem preferência pela compra de artigos de produção sustentável e amiga do ambiente. Por outro lado, gosta de opções de entrega flexíveis, nomeadamente de receber o produto em casa, sendo que 88% querem entregas gratuitas.


Oportunidades e recomendações para as empresas portuguesas
A agência de captação de investimento de Portugal considera, pois, que há boas oportunidades para as empresas e os produtos portugueses no mercado alemão. Desde logo pela "alta qualidade e autenticidade dos produtos portugueses, boa relação preço/qualidade"; "poder de compra relativamente elevado do consumidor alemão, continuação da taxas de consumo elevadas (efeito da política de juros baixos)"; "capacidade elevada de adaptação das empresas portuguesas às condições/exigências do mercado alemão"; "turismo crescente para Portugal (> um milhão de turistas alemães visita Portugal anualmente)"; inserção da referência 'Made in Portugal' como fator impulsionador de venda em muitos setores, por ser "sinónimo de artigos de qualidade".


Ainda assim, é de considerar que há pontos fracos que não devem ser escamoteados. Entre eles, a "notoriedade relativamente baixa no mercado" e a "presença modesta na grande distribuição", o "reduzido conhecimento do 'trade' alemão e do consumidor acerca da oferta portuguesa", os "custos de transporte", a "distância geográfica de Portugal", que pode dificultar uma entrega rápida ("Same Day Delivery") ou uma apresentação 'online' reduzida e pouco adaptada ao mercado (sem língua alemã).


A AICEP recomenda, assim, às empresas "um melhor estudo da procura concreta do mercado", melhorando a adaptação da produção às exigências do mercado; uma "presença ativa e consistente no mercado (feiras, ações de promoção) para conhecer as tendências e gostos do consumidor"; a "disponibilização de material promocional/ página de internet em alemão"; a "angariação de parceiros locais que conhecem o mercado e auxiliem nos aspetos logísticos"; a "inserção de informações/ endereços sobre a firma na página online ("Impressum")"; "inserção de descrição detalhada das caraterísticas técnicas do produto e recurso a fotografias" ou, ainda, "flexibilidade nas formas de pagamento dos produtos por parte do consumidor final" e "entregas gratuitas e rápidas dos artigos adquiridos".

Partilhar