NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Desde que chegou à liderança do grupo automóvel francês, o gestor português tornou a deficitária empresa gaulesa num construtor automóvel de sucesso.

As vendas do grupo Peugeot Citröen (PSA) subiram 6,8% em 2018 face a período homólogo. As vendas do grupo francês atingiram assim um valor recorde de 3,88 milhões de automóveis em 2018

 

A compra da produtora automóvel alemã Opel ajuda a explicar o valor recorde de vendas do grupo liderado pelo português Carlos Tavares.

 

Só na Europa as vendas subiram 31%, com a quota de mercado do grupo a subir 3,8 pontos percentuais para 17,1%, segundo dados avançados pela Reuters esta terça-feira.

 

“Conseguimos triunfar com a rigorosa execução do nosso eficiente modelo estratégico”, disse Carlos Tavares em comunicado.

 

A Reuters aponta que marcas como a Volkswagen e a Renault tiveram dificuldades para homologar os seus veículos segundo a nova homologação europeia (WLTP). Pelo contrário, o grupo PSA certificou os seus automóveis a tempo.

 

O percurso de Carlos Tavares ao leme da PSA tem sido assinalável. Quando chegou à PSA em 2013 a companhia estava à beira da bancarrota, mas o gestor português implementou um plano para recuperar a companhia, aumentando a sua rentabilidade e levando-a atingir um novo máximo de vendas, após a compra da Opel.

 

Tirando o efeito da Opel-Vauxhall, as vendas da PSA subiram 5% na Europa, mas recuaram 12% em todo o mundo. Só na China as vendas da PSA afundaram 32% em 2018.

 

A companha não revelou previsões de vendas para 2019, com a PSA a manter-se cautelosa para este ano. “O ano de 2019 é complicado de interpretar”, disse o diretor da PSA para a Europa, Maxime Picat, citado pela Reuters.

Partilhar