NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Hoje, enfrentamos uma crise económica sem precedentes. O FMI prevê uma contração global de 3 por cento e o Banco Mundial prevê um decréscimo de 35 por cento nos fluxos de investimento estrangeiro nos países em desenvolvimento. No passado dia 5 de maio na “roundtable” do IFC, mais de 25 DFI  e Instituições Multilaterais acordaram juntar esforços para apoiar o setor privado nos países menos desenvolvidos. A SOFID juntou-se a este movimento.

Este apoio será prioritariamente para o fornecimento de bens e serviços de saúde, apoio às micro empresas e às PME e para fortalecer as cadeias de distribuição.

 

Um especial destaque será dado à reconstrução do setor do turismo, do transporte, da logística e distribuição de bens alimentares, tendo sempre em consideração as questões climáticas e de género.

 

A tecnologia terá também o seu papel com o objetivo de aumentar a conectividade digital e melhorar o acesso dos países mais frágeis aos mercados de bens e serviços.

 

A coordenação de esforços com o setor público será necessária para promover as reformas e a criação de ambientes regulatórios que atraiam os investidores.

 

Esta crise é uma tragédia. Trabalhando juntas, as DFI conseguirão ajudar os países menos desenvolvidos a ultrapassar a crise e a concretizar as suas ambições de desenvolvimento a longo prazo.

Partilhar