NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Com uma vigência até 31 de maio, o montante máximo de financiamento por empresa será de 1,5 milhões, nas finalidades de Fundo Maneio e Tesouraria, com maturidades até 4 e 3 anos, respetivamente.

A Caixa vai disponibilizar nos próximos dias 200 milhões de euros para a Linha de Crédito Capitalizar – Covid 19.


Esta linha está enquadrada no Pacote de medidas de Estado de apoio às empresas para minimizar o impacto do novo coronavírus na economia. A CGD terá disponível, nos próximos dias, uma nova uma linha de crédito, dirigida às Micro, Pequenas e Médias Empresas com uma dotação de 200 milhões.

 

A linha está em vigência até 31 maio, o montante máximo de financiamento por empresa será de 1,5 milhões, nas finalidades de Fundo Maneio e Tesouraria, com maturidades até 4 e 3 anos, respetivamente.

 

“A nova linha tem como principal objetivo reforçar  o apoio ao nível da Tesouraria e/ou Fundo Maneio para acomodar os impactos negativos decorrentes do surto do coronavírus, designadamente a diminuição das receitas provocadas pela abrupta redução da procura em numerosos setores da atividade”, explica o banco liderado por Paulo Macedo.

 

As operações beneficiarão de uma garantia mútua até 80% do montante financiado e a respetiva comissão da garantia será integralmente bonificada, aumentando a acessibilidade e competitividade desta linha, explica a CGD.

 

“Decorrente da experiência existente neste tipo de linhas de crédito protocoladas com o Estado (linhas Capitalizar), a Caixa tem condições para uma resposta rápida às necessidades de curto prazo das empresas afetadas pelo do Covid-19”, refere o banco.

 

O Jornal Económico já tinha avançado que os principais bancos em Portugal já estão a operacionalizar a linha de crédito de 200 milhões de euros para apoiar as empresas que registem uma quebra das receitas por causa do novo coronavírus, que foi anunciada pelo Governo.

 

“A CGD está atenta à evolução desta pandemia e disponibiliza a todo o momento os instrumentos considerados relevantes para apoiar os seus clientes na superação desta crise”, conclui o banco no comunicado.

Partilhar