NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Empresa escolheu Lisboa para abrir um novo escritório, de forma a dar resposta ao número crescente de clientes em Portugal. O ministro da Economia já deu as boas-vindas à tecnológica.

A Amazon Web Services (AWS) anunciou, esta terça-feira, a abertura do seu primeiro escritório em Lisboa, para dar resposta ao aumento do número de clientes no país. O Governo felicita esta abertura e considera que vai reforçar a posição de Portugal na inovação digital.

 

“Portugal dá as boas-vindas à Amazon Web Services. Estou particularmente satisfeito que a empresa tenha optado por abrir o seu mais recente escritório no nosso país. Este anúncio reafirma a posição de Portugal na vanguarda digital e enquanto local atrativo para investir. (...) O Governo Português está empenhado em assegurar que todos os setores da nossa sociedade estejam preparados para a nova economia digital”, refere o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

 

O escritório vai apoiar empresas de todos os tipos, desde startups a entidades públicas, acompanhado a transição para a tecnologia 'cloud'. A abertura em Lisboa permitirá também que a empresa reforce a presença deste produto na Europa para 19 países, segundo um comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso.

 

A AWS fornece serviços de 'computing', armazenamento, redes, bases de dados e outros serviços tecnologicamente avançados, incluindo soluções de inteligência artificial, entre outras.

 

Empresas como Airbnb, Netflix e Tinder, ou organizações como a Agência Espacial Europeia, o Ministério da Justiça do Reino Unido ou a NASA, usam as soluções da AWS.

 

Por cá, a EDP - Energias de Portugal, Feedzai, Globalvia, Grupo Impresa, Jumia, Lusiaves, Miniclip, Prodsmart, OutSystems, Unbabel e Uniplaces, bem como organizações públicas como a Cidade do Porto, são alguns dos clientes da AWS, segundo o mesmo comunicado. “O interesse da Amazon Web Services em Portugal, juntamente com o potencial que outras tecnologias avançadas baseadas na cloud, como a inteligência artificial, machine learning e a Internet of Things, irão reforçar a posição de Portugal como centro europeu de inovação”, conclui Caldeira Cabral.

Partilhar