NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A nova startup chama-se Eve e vai disputar o novo mercado da designada UAM – Mobilidade Aérea Urbana. Trata-se da empresa que foi incubada na subsidiária EmbraerX, que opera nos EUA, na Flórida. O grupo brasileiro que tem fábricas em Portugal começa agora a sua nova aventura industrial de produzir as aeronaves elétricas de descolagem e aterragem vertical designadas como “eVTOL”.

A “Eve Urban Air Mobility Solutions” foi ‘autonomizada’ esta quinta-feira, 15 de outubro, em Melbourne, na Flórida. Trata-se de uma “nova empresa independente dedicada a acelerar o ecossistema da Mobilidade Aérea Urbana (a designada “UAM”), depois de ter sido incubada durante quatro anos na EmbraerX, subsidiária do Grupo Embraer dedicada à inovação e ao desenvolvimento de tecnologias aeroespaciais disruptivas, segundo informação do grupo brasileiro – que tem fábricas em Portugal, na zona de Évora –, enviada ao Jornal Económico.

 

A Eve tem desenvolvido “um portfólio completo de soluções para habilitar o mercado da “UAM” e para beneficiar a vida das pessoas, incluindo a progressão e certificação do veículo elétrico de descolagem e aterragem vertical (eVTOL), os serviços abrangentes associados e a sua rede de suporte”, bem como “a criação de veículos urbanos com soluções de gestão de tráfego aéreo”. O ex-chefe de estratégia da EmbraerX, André Stein, foi nomeado CEO da Eve.

 

A partir de agora, “a Eve beneficiará de um maior foco e também maior velocidade e agilidade, permitindo que a empresa inove e execute projetos a um ritmo acelerado para capitalizar totalmente a oportunidade global da ‘UAM’, depois de ter sido incubada há quase quatro anos na EmbraerX”, adianta a empresa.

 

“Valorizamos o grande potencial do mercado da UAM, pois representa um novo segmento de negócios no qual antevemos oportunidades significativas para a Embraer”, refere o grupo brasileiro. Os pilares do plano estratégico da Embraer são “a inovação e a diversificação”, para, por essa via, “aumentar a receita e melhorar os lucros nos próximos anos”, comenta Francisco Gomes Neto, presidente e CEO da Embraer, manifestando o desejo que a sua empresa tinha em “anunciar a Eve, como a primeira empresa formada na EmbraerX”.

 

A Embraer considera que “a Eve está preparada para criar uma nova fronteira no transporte com aeronaves inteligentes, amigas do ambiente ​​e autónomas e com soluções de gestão do tráfego aéreo urbano”. Para “acelerar a revolução da ‘UAM’, a EmbraerX integra a rede tecnológica ‘Uber Elevate’ desde seu início em 2017”, adianta a empresa brasileira.

 

“O lançamento da Eve será um passo importante na comercialização dos projetos de aeronaves elétricas de descolagem e aterragem vertical ‘eVTOL’ da Embraer, ao mesmo tempo que se sustenta na capacidade da Embraer de projetar, certificar e entregar aeronaves seguras e globalmente utilizadas”, adianta o responsável da “Uber Elevate”, Eric Allison, referindo que “espera manter a nossa parceria para tornar uma realidade as viagens aéreas compartilhadas”.

 

Assim, “a nova start-up Eve, apoiada nos 50 anos de experiência aeroespacial da Embraer, constitui uma proposta de mercado única e valiosa”, refere a Embraer, reconhecendo que “o projeto ‘eVTOL’ representa um desenvolvimento de produto real e certificável, como já ficou evidenciado pelo primeiro voo do simulador de engenharia, efetuado em julho de 2020, resultante da experiência da Embraer e da Atech, outra subsidiária do Grupo Embraer para o fornecimento de software de gestão de tráfego aéreo mundialmente consagrado para criar as soluções que podem ajudar a dimensionar, com segurança, a indústria da ‘UAM’ no futuro”, conclui a Embraer.

Partilhar