NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A competitividade da eletricidade portuguesa face à espanhola tem permitido a Portugal manter um saldo importador negativo desde 2016, isto é, as exportações superam as importações de eletricidade.

As exportações de eletricidade de Portugal para Espanha renderam 782 milhões de euros entre 2016 e 2018. Uma das razões para a venda ao país vizinho são os preços competitivos da eletricidade produzida em Portugal face à produzida em Espanha.

 

Os dados são da Redes Energéticas Nacionais (REN) e foram divulgados pela empresa esta quarta-feira, 8 de maio.

 

“Nos últimos anos fomos claramente exportadores. Esta exportação teve consequências: fazendo as contas ao valor médio [de venda da eletricidade] equivaleu a 782 milhões de euros de exportação nestes três anos”, disse o diretor de Regulação e Estatística da REN Pedro Furtado num encontro com jornalistas.

 

“Quer dizer que há um serviço prestado pela rede ao setor e o setor funciona. Isto ocorreu porque há um preço em Espanha que fez com que, as nossas centrais sendo mais competitivas, pudessem lá ir”, explicou o responsável.

 

A REN é a empresa responsável por transportar a eletricidade das centrais até às nove fronteiras elétricas com Espanha, com a produção de eletricidade a ser da responsabilidade de empresas como a EDP, Tejo Energia ou a Trustenergy.

 

O grande salto nas exportações de eletricidade foi dado entre 2015 e 2016 quando a exportação disparou 209% para 7.055 GWh. Nos dois anos seguintes, a exportação caiu para 5.756 GWh em 2017 e 5.650 GWh em 2018.

 

Mesmo assim, estes valores ainda ficam acima dos registados em 2015 quando Portugal exportou “apenas” 2.283 GWh, o último ano em que o saldo importador foi positivo (2.266 GWh), isto é, as importações de eletricidade foram superiores às exportações, o que não se tem verificado desde então.

Partilhar