NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

De acordo com Raul Martins, presidente da Associação da Hotelaria de Portugal, “estes números deverão equivaler a cerca de 30% da ocupação total do setor”.

A região de Lisboa – cidade e Grande Lisboa – é a mais afetada pela quebra de reservas no setor nacional da hotelaria devido ao impacto do coronavírus.

 

No inquérito realizado pela AHP – Associação da Hotelaria de Portugal, que foi divulgado esta quinta-feira, dia 12 de março, concluiu-se que se registaram 346.497 cancelamentos nas unidades hoteleiras nacionais no período de 3 a 9 de março.

De acordo com Raul Martins, presidente da AHP, “estes números deverão equivaler a cerca de 30% da ocupação total do setor”.

 

Para Cristina Siza Vieira, presidente da direção executiva da AHP, as regiões que estão a ser mais afetadas pelos cancelamentos no período em análise são a região da Lisboa, seguida pela região do Centro, muito afetada pelo recuo do turismo religioso, e pelo Norte, incluindo o Porto.

 

Em Lisboa, os principais cancelamentos forma de turistas de Itália, China, Espanha, França e Reino Unidos. Destes, Espanha e e França fazem parte do ‘top 5’ de mercados emissores com maior presença nesta região.

 

Na região Norte, os principais cancelamentos forma de turistas de Portugal, França, Espanha, Itália e Reino Unido. Destes, Portugal, França e Espanha integram o ‘top 5’ de mercados com maior expressão na região.

 

Na região Centro, os cancelamentos foram assumidos por turistas de Portugal, Itália, Espanha, China e Brasil, sendo que Portugal, Espanha e Brasil integram o ‘top 5’ de mercados com maior presença nesta região.

 

Por seu turno, no Alentejo, os cancelamentos de reservas verificados no período de 3 a 9 de março, foram protagonizados por turistas de Portugal, China, Estados Unidos, Itália e Espanha. Destes, Portugal, Estados Unidos e Espanha fazem parte do ‘top 5’ de mercados com maior presença na região.

 

Nos Açores, os cancelamentos forma de Portugal, Reino Unido, Estados Unidos, Espanha e Alemanha. Destes, Portugal, Estados Unidos, Espanha e Alemanha integram o ‘top 5’ de mercados com maior presença na região.

 

Citando dados do Instituto Nacional de Estatística, a AHP assinala que os mercados emissores de turistas mais importantes para o nosso país, são,, por ordem decrescente de importância, o mercado interno, Portugal, com uma quota de 30,3% nas dormidas registas em 2019; Reino Unido (13,5%); Alemanha (8,2%), Espanha (7,6%), França (6,8%), Brasil (4%), Estados Unidos (3,7%), Holanda (3,5%), Irlanda (2,8%) e Itália (2,4%).

Partilhar