NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Os novos consumidores de vinho são muito mais viajados do que no passado, são mais experimentalistas. Um contexto que abre oportunidades de afirmação para países como Portugal.

Nos últimos dez anos, os vinhos portugueses tiveram um período de afirmação internacional muito positivo, tendo crescido cerca de 40% as vendas na exportação neste período. São números que nos deixam orgulhosos, mas ainda muito há a fazer. As nossas castas ainda são desconhecidas para a grande maioria dos consumidores e as nossas principais regiões ainda permanecem um mistério, fora dos mercados com maior afinidade cultural com Portugal.

 

Ainda assim, muito foi conseguido e começamos a encontrar já mais frequentemente vinhos portugueses nas prateleiras e listas de vinhos nos diversos mercados de exportação. Neste setor conseguiu-se uma unificação de esforços entre produtores, IVV, CVRs e organizações de promoção privadas como a ViniPortugal, que é um exemplo para outras áreas da nossa economia. O vinho é um produto que leva bem visível o nome de Portugal e no qual a quase totalidade do valor acrescentado fica no nosso país.

 

No futuro, é muito importante que se siga o caminho trilhado e que as nossas castas, as nossas regiões e os nossos estilos de vinho ganhem cada vez mais notoriedade. Os novos consumidores de vinho na grande maioria dos mercados são muito mais viajados do que no passado, arriscam mais, são mais experimentalistas, e este contexto abre oportunidades de afirmação para países como Portugal.

 

Naturalmente que em mercados produtores como é o caso de Espanha, onde existe uma clara preferência por vinhos domésticos (como acontece aliás em Portugal), este trabalho é ainda mais exigente. É de louvar a existência de eventos como o Portugal Decanta, que leva os nossos vinhos a Espanha e mostra a qualidade do que se produz em Portugal.

 

Esta é a segunda edição deste evento, na qual participamos com empenho, juntamente com os nossos importadores Terras de Portugal. Nos últimos anos temos assistido a uma cada vez maior vaga de turismo vindo de Espanha e esta tendência abre mais espaço e gera oportunidades de exportação dos nossos vinhos para este mercado.

 

Na José Maria da Fonseca, temos historicamente exportado várias marcas importantes para Espanha e recentemente temos feito um trabalho mais qualitativo, com marcas que nos diferenciam, como o Periquita, a primeira marca de vinho engarrafado em Portugal e os nossos Moscatéis de Setúbal, vinhos de elevado prestígio que têm já lugar em vários dos melhores restaurantes de Espanha.

Partilhar