Mercados Externos

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Contact Us


Homepage » Internacionalizar

 Mercados Externos 

Coreia do Sul

 


Coreia do Sul

Relacionamento com a União Europeia (UE)


•  O relacionamento UE/Coreia do Sul rege-se pelo Acordo Quadro de 2010, que pretende desenvolver a cooperação e o diálogo entre as partes sobre questões de interesse comum, e pelo Acordo de Comércio Livre, que, entre outras matérias, consagra isenções/reduções das taxas dos direitos aduaneiros na importação de bens comunitários na Coreia do Sul.

 

Flash País / Ficha de Mercado


Oportunidades e Dificuldades


A Coreia do Sul posiciona-se como uma das quinze maiores economias a nível mundial, situando-se nos dez primeiros lugares enquanto exportador e importador.

 

Tendo uma população ligeiramente superior a 50 milhões de habitantes e com um nível de vida similar aos países da Europa Ocidental, a Coreia do Sul emerge como um dos mercados de consumo mais importantes de toda a Ásia.

 

Sendo um dos mercados mais abertos do mundo, é naturalmente bastante concorrencial. Significa que as grandes marcas globais, assim como inúmeros produtos estrangeiros competitivos se esforçam para entrar, ou manter as suas quotas de mercado na Coreia do Sul, através da dinamização de permanentes campanhas promocionais e de contactos regulares com os principais stakeholders locais.

 

Na Coreia do Sul poderão existir oportunidades de negócio para as empresas portuguesas em diversos setores, como por exemplo, o agroalimentar, calçado, vestuário e seus acessórios e cortiça.

 

Oportunidades e Dificuldades / Guia Prático de Acesso ao Mercado 


Ambiente Económico


•  A Coreia do Sul tem uma economia de mercado sólida e recursos humanos altamente qualificados, tendo registado um desenvolvimento económico significativo num passado recente.

 

• O país tem uma forte base industrial e está orientado para as exportações. Devido à sua forte integração nas trocas comerciais e nas transações financeiras a nível internacional, a Coreia do Sul é muito vulnerável a choques externos.

 

• Apesar de se pretender implementar uma política económica mais direcionada para o lado da procura, é expectável que a atividade económica não se afaste muito do modelo atual, que se baseia no crescimento das exportações.

 

• Entre 2013 e 2017, o crescimento médio anual do PIB foi de 3%. Perspetiva-se que se mantenha uma trajetória de crescimento sustentado da economia da Coreia do Sul ao longo do período 2018-2022, prevendo-se uma taxa de variação média anual de 2,9% para o PIB em termos reais.

 

Flash País / Ficha de Mercado


Relações Bilaterais com Portugal


• A balança comercial de bens e serviços entre Portugal e a Coreia do Sul é desfavorável ao nosso país, tendo apresentado um défice de 229,7 milhões de euros em 2017, a que correspondeu um coeficiente de cobertura das importações pelas exportações de 40,8%. A taxa média de variação anual das exportações, no período 2013-2017, foi de 11%, enquanto as importações aumentaram, em média, 14,8% ao ano.

 

• No que diz respeito ao comércio de bens, em 2017 a Coreia do Sul foi o nosso 43º cliente, representando 0,23% das exportações portuguesas.

 

• A estrutura das exportações de bens assenta, principalmente, em plásticos e borracha, máquinas e aparelhos, metais comuns, minerais e minérios e calçado.

 

Relações Económicas Bilaterais



Quadro Regulamentar


Regime de Importação

 

• Direitos Aduaneiros, Formalidades/Procedimentos e Barreiras – Consultar a Market Access Database (selecionar produto/mercado).

 

• O Acordo de Comércio Livre celebrado com a UE, para além da redução/isenção de direitos aduaneiros na importação de bens comunitários na Coreia do Sul, estabelece um conjunto extenso de cláusulas gerais que visam eliminar os obstáculos técnicos ao comércio entre as partes, como a cooperação em matéria de normas e questões regulamentares, transparência e marcação/rotulagem. Estas cláusulas vão mais longe do que o previsto no Acordo sobre os Obstáculos Técnicos ao Comércio da OMC (O Acordo de Comércio Livre UE-Coreia na Prática).

 

• A Coreia do Sul desenvolveu uma vasta rede de relações de parceria, tendo celebrado outros Acordos de Livre Comércio, com tratamento preferencial tarifário, que abrangem mais de 20 países (incluindo países da região, como a China). A 25 de maio de 2018 iniciou negociações com o MERCOSUL (Argentina Brasil, Paraguai e Uruguai) para a celebração de mais um Acordo da mesma natureza.

 

• Produtos Agroalimentares – Pode haver necessidade de Acordos de Habilitação entre os serviços veterinários/fitossanitários de ambos os países. Contactar os serviços da DGAV (Constrangimentos à Exportação / Procedimentos Gerais de Exportação).

 

Regime de Investimento Estrangeiro

 

• O quadro legal do investimento externo está consagrado no Foreign Investment Promotion Act (FIPA) e legislação relacionada, sendo o investimento externo fortemente encorajado pelas autoridades governamentais, com o objetivo de tornar o país num centro financeiro e de negócios de referência na região.

 

• Para ser considerado investidor ao abrigo do FIPA, o promotor deve (no caso de uma joint-venture) entrar com um montante mínimo de 100 milhões KRW e uma participação não inferior a 10% do capital social de uma empresa local ou, em alternativa a esta última, ter uma efetiva participação na gestão da empresa (ex.: nomeação de responsável para cargo de Direção ou Auditoria). São ainda considerados investimento estrangeiro os empréstimos com maturidade igual ou superior a cinco anos, concedidos a empresas já estabelecidas por parte da casa-mãe.

 

• Entre a Coreia do Sul e Portugal está a vigorar um Acordo de Promoção e Proteção Recíproca de Investimentos (APPRI) e uma Convenção para Evitar a Dupla Tributação (CEDT).

 

Condições Legais de Acesso / Acordos Bilaterais


Empresas Exportadoras Portuguesas


• O número de empresas portuguesas exportadoras para a Coreia do Sul tem registado uma tendência crescente, com uma variação média anual nos últimos cinco anos de 10,8%. No ano de 2017, o total de empresas exportadoras para a Coreia do Sul foi de 640, o que representa um aumento de 10,7% face a 2016.

 

Maiores Empresas Portuguesas Exportadoras de Bens 2017

 

Para mais informações consulte a nossa Livraria Digital

Ações AICEP

 

ABC Mercado Coreia do Sul   

   

 

Lisboa, 6 de dezembro de 2016
Porto, 7 de dezembro de 2016

 

Informação Relevante


                                                                                                              A Rede Externa da AICEP   

Partilhar