AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Contact Us


Homepage » Eventos » Visitas

 

Tema: Visita a Portugal de um importador grego de louça de cozinha/decorativa para o setor da hotelaria e restauração.
Mercado: Grécia
Setores: Hotelaria e restauração
Data: 27
a 30 de setembro de 2017
Local: Norte e Centro de Portugal
Condições de participação: consultar
Inscrição: online, até 8 de setembro de 2017

 

A AICEP organiza a visita a Portugal do Sr. Stathis Intzoglou, diretor comercial da empresa grega, Hotel Plan Group, Lda, de 27 a 30 de Setembro de 2017.

A “Hotel Plan Ltd”, fundada em 2002, é especializada na importação e distribuição de equipamento profissional para a hotelaria e restauração (restaurantes, cafés, bares e serviços de catering). Produtos para o setor Horeca, de média e alta qualidade.

 

O Sr. Stathis Intzoglou está interessado em contactar empresas portuguesas de:

- Louça de cozinha e de mesa;

- Vidros (copos)

- Cutelaria para mesa e cozinha

- Louça metálica para hotelaria

- Produtos de limpeza;

- Produtos descartáveis (pratos, copos, caixas/caixotes para os serviços de catering ou embalagem).

Esta visita tem como objetivo identificar e alavancar oportunidades para as empresas portuguesas e dar a conhecer o potencial de Portugal como país fornecedor de produtos de qualidade.

 

 

Sobre o mercado Grego

 

 

A indústria de turismo é basilar para a economia grega, contribuindo, direta e indiretamente, para 18,5% do PIB da Grécia e para a criação de cerca de um milhão de postos de trabalho (350 mil diretos e 650 mil indiretos). Existem no país 9.757 unidades hoteleiras com uma capacidade de 784.315 camas.

Nos últimos anos, as chegadas de turistas estrangeiros, incluindo os cruzeiros, registaram números recorde: 24,2 milhões em 2014, 26,1 milhões em 2015 e 27 milhões em 2016.

De acordo com todas as projeções das autoridades helénicas, esta tendência acrescente manter-se-á em 2017 e nos próximos anos.

O desempenho da Grécia como destino de turismo contribuiu, por um lado, para mitigar os efeitos negativos da recessão e, por outro, para atrair o interesse de investidores locais e estrangeiros que estão a apostar na recuperação de unidades hoteleiras existentes e/ou na construção de novas.

O número de projetos de investimento em curso está a gerar grandes oportunidades de negócio para a indústria portuguesa de bens e de equipamento para a hotelaria (louça de cozinha/mesa, artigos decorativos, têxteis-lar, mobiliário, tecidos, etc.). 

 

 

Organização: 

Partilhar