AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Contact Us


Homepage » Eventos » Em Foco

 

 

Porquê a Holanda?

 

   Em 2016, os Países Baixos foram a 17ª economia mundial e a 6ª economia da União Europeia. No mesmo ano, o país foi o 5º maior exportador e 8º importador de bens a nível mundial.

   Com uma situação geográfica estratégica, os Países Baixos constituem uma placa giratória do comércio europeu e um centro de distribuição das importações e dos investimentos provenientes, nomeadamente, da Ásia e dos EUA.

   Trata-se de uma economia extremamente aberta ao exterior, muito dependente da conjuntura económica mundial e europeia, em particular do comércio internacional e do setor financeiro.

   Para 2017 a Comissão Europeia prevê um aumento da economia holandesa de 2%, impulsionado pelo aumento do consumo privado e pelos investimentos. A taxa de desemprego tenderá a manter uma trajetória de redução, situando-se em 5,2%. As importações de bens e serviços deverão registar um crescimento de 3,1%.

   Os fluxos comerciais de bens com os Países Baixos revestem-se de grande importância para Portugal. Em 2016, este país posicionou-se na 6ª e na 5ª posição, respetivamente, do ranking dos clientes (com cerca de 3,7% do total exportado) e dos fornecedores (5,1% do total importado).

 

 

 

Porquê a Construção e a Manutenção Naval?

 

  O sector marítimo tem estado nos últimos séculos diretamente ligado à história dos Países Baixos, sendo atualmente líder global no fornecimento de soluções inovadoras para os mercados internacionais.

 

   A indústria naval holandesa gera anualmente cerca de 24 mil milhões de euros, compreendendo 12.000 empresas que empregam mais de 265.000 pessoas. Deste valor, cerca de 70% é gerado em terra.

 

  A frota mercante dos Países Baixos é uma das mais modernas do mundo, sendo altamente inovadora e com tripulações bem capacitadas.

 

   Por sua vez, a indústria de fornecimento de Petróleo, Gás e Offshore pertence ao Top 5 do mundo, sendo um sector bastante ativo, entre outros, em países como o Brasil, Angola e Moçambique.

 

   Portugal tem capacidade de especialização em nichos dentro deste setor, por parte dos seus estaleiros, com know-how profissional especializado e associado a custos muito competitivos.

 

   As empresas portuguesas fornecedoras dispõem à partida de um conjunto apreciável de infraestruturas logísticas, em Portugal, as quais lhes facilitam desde logo as condições de negociação com os parceiros de negócio holandeses.

 

⇚ Voltar

Organização:                        

  

AICEP

Partilhar